Você sabe bem o que está protegido no seu ambiente?

Essa é uma pergunta que tem atormentado os gerentes e administradores de TI há algum tempo. A maioria das organizações não faz ideia de quais informações elas possuem ou porque devem mantê-las. E quando isso acontece a alternativa que parece restar é proteger tudo, uma vez que não se tem uma maneira de como definir qual informação deve ser protegida. Isso por que é sabido que a informação tem algum valor, logo, deve ser protegida.

Proteção por quanto tempo?

Já que existe uma informação de valor que deve ser protegida, a segunda pergunta que se faz é: Por quanto tempo ela deve ficar protegida? Normalmente, em pouquíssimos casos conseguimos uma resposta satisfatória e sensata a essa pergunta, mas o mais comum é se colocar um tempo muito acima do necessário, para lá na frente pensar novamente no assunto.

Mais espaço para armazenamento

E como tomar decisões quando suas informações ocupam um espaço que “se parece com o monte Everest”? O que fazer quando esse tipo de situação ocorre dentro da sua empresa? Bem, comprar mais armazenamento parece ser a solução mais óbvia, certo? Já que preciso proteger tudo o que tenho, e minha área de armazenagem está próxima de se esgotar, o que resta é adquirir mais área, não é?! Só que você se lembra que isso já aconteceu anteriormente, e de novo, e de novo… Será que isso não vai parar nunca?

Toda aquisição gera custo. Além do próprio custo material, vêm juntos o custo com energia, espaço, gerência e outros e isso acaba virando uma bola de neve. O que fazer para resolver isso?

O primeiro passo é se organizar.

É preciso entender o que você tem e separar o que é necessário daquilo que é lixo. Poucas empresas tem políticas bem definidas para armazenamento de informações. A organização acontece quando você passa a conhecer o tipo de informação que você tem. É necessário saber que tipo de arquivos existem no seu ambiente, saber o tamanho que cada tipo de arquivo ocupa, conhecer a idade desses arquivos, e principalmente se esses arquivos realmente precisam estar ali. Além disso, saber quem criou, se estão duplicados e quem tem acesso aos mesmos também é fundamental para conseguir se organizar.

Entenda o que você tem

Obter visibilidade dessas informações é o que vai permitir identificar oportunidades de otimizar as informações armazenadas e também reduzir o risco de perdê-las. Também vai te permitir tomar medidas diretas para limpar a casa e manter os dados valiosos e regulamentados e ainda manter confiança para expirar e expurgar o restante. De acordo com o Data Genomics Index em uma pesquisa encomendada pela Veritas, uma média de 41% dos dados armazenados não sofreu modificação nos últimos 3 anos e 12% desses dados nem foram acessados nos últimos 7 anos. Isso representa quase metade de todas informações que você possui. Imagina ainda que se você protege tudo, essa quantidade no mínimo duplica mais uma vez. Haja armazenamento!

Risco, valor e desperdício

Visualizar e conhecer seus dados é o passo inicial para a governança de dados. Ter uma visão abrangente do seu ambiente de informações, saber que tipo de dado você tem, o espaço que cada um ocupa, quais acessos estão definidos a esses dados, são cruciais para identificar áreas de risco, valor e desperdício e ainda responder às necessidades da nova lei geral de proteção de dados no Brasil. Inclusive já falamos sobre esse assunto em outro blog que você pode acessar pelo nosso blog.

Entre em contato com a equipe da Tripla e saiba como podemos ajuda-lo a organizar a casa e estar preparado para a Lei Geral de Proteção de Dados. Clique aqui e fale com um especialista.

 

 

Por favor, nos diga o que achou do conteúdo
5
Sending
User Review
0 (0 votes)