Política de licença de software: Descubra como implantar na sua empresa

Não insista em softwares piratas. Descubra como implantar uma política de licença de software efetiva para sua empresa e obtenha vários benefícios.

Caso a sua empresa ainda não conte com uma política de licença de software aplicada e bem estruturada, não deixe de ler esse post até o final para entender a sua importância e descobrir como implantá-la na sua empresa do jeito certo.

Muitas empresas ainda desconhecem os reais benefícios de utilizar softwares licenciados, como acesso às atualizações de melhorias; pacotes de segurança contra a ação de ameaças cibernéticas emergentes; melhor desempenho e produtividade; suporte usual e reparos em situações extremas; acesso à todas as funcionalidades, entre várias outros. Assim como os riscos de se utilizar versões piratas, que vão muito além da fiscalização.

Entendidos estes benefícios e riscos e as formas de viabilizar a compra de licenças de softwares, você conseguirá regularizar a sua empresa e usufruir de softwares mais produtivos e seguros.

O próximo passo, é garantir que a sua empresa continue regularizada. Por isso, é importante se estabelecer uma política de licença de software.

Confira os passos necessários!

Como implantar uma política de licença de software: Passo a passo

A sua companhia não pode deixar de ter uma política de licença de software atuante para garantir que ela usufrua de toda a tranquilidade e performance que softwares licenciados são capazes de oferecer.

Para isso, os principais passos que gestor de TI deve dar para implantar uma boa política de licença de software são

1. Fazer uma auditoria para saber quais softwares são utilizados na empresa

Procure identificar, por meio de uma auditoria interna, quais são os programas que a sua empresa utiliza, verifique com cada setor e com cada usuário, quais softwares são utilizados e necessários para a execução do trabalho. Verifique quais estão licenciados, quais estão instalados em versões não originais. Assim como, quais são livres e quais necessitam de licenciamento. Afinal de conta, é preciso inicialmente identificar onde estão os problemas para poder resolvê-los da melhor correta.

2. Providencie a legalização dos softwares piratas

Agora que você já tem a lista com todos os softwares em uso da sua empresa em mãos, e já identificou quais deles ainda atuam de forma ilegal, providencie a sua legalização o quanto antes.

Para algumas empresas, essa mudança pode não ser tão fácil. Por isso, veja se o software a ser licenciado é realmente necessário para o seu negócio e caso seja, providencie a compra da sua licença. Defina ainda, qual o tipo de licença mais viável e adequado para a demanda.

Outra opção para tornar essa mudança mais simples para o seu negócio é optar por versões alternativas, que apresentam recursos similares, mas que podem ser regularizadas por um preço mais em conta, ou até de graça, se for o caso. O importante é não deixar que a sua companhia continue trabalhando com softwares piratas e colocando em risco o seu patrimônio e reputação.

3. Defina um budget e um planejamento de aquisições e renovações

Você pode ainda, ordenar a prioridade de compra e considerar os períodos das futuras renovações, e assim, fazer um planejamento juntamente com o financeiro, garantindo o budget, ou seja, uma previsão de verba para este fim.

4. Procure deixar claro as proibições sobre o uso de softwares piratas

Na sua política de licença de software, é importante que deixe bem claro todas as proibições e também consequências que podem ocorrer caso algum funcionário passe a utilizar programas piratas.

É preciso deixar essas regras bem claras, assim como, mostrar para a sua equipe, como ela deve fazer para solicitar a aquisição de softwares do jeito correto, para não comprometer a sua empresa.

5. Guarde os documentos que comprovam o licenciamento dos softwares

Procure manter sempre guardados os documentos que comprovam a legalidade dos softwares da sua empresa, sejam eles recibos, notas fiscais, contratos de uso, ou qualquer outro tipo de comprovante.

Dessa forma, você mantém a sua empresa livre de problemas em caso de fiscalização envolvendo a proteção de direitos autorais de software.

6. Tenha uma postura profissional

O gestor ou responsável pela área de TI, é aquele que compreende de fato os reais benefícios e a gravidade dos riscos da utilização ou não de softwares licenciados. Muitos gestores desconhecem o processo necessário para aquisição de softwares e o investimento necessário, portanto, é papel do CIO orientá-los corretamente para não agir de ilícita.

 

Ao seguir estes passos e tomar os cuidados devidos, a sua empresa passará a contar com uma política de licença de software implementada da forma correta e sem riscos.

Caso ainda tenha alguma dúvida ou desejar mais orientações para viabilizar a regularização dos seus softwares, converse gratuitamente com um de nossos especialistas. Ele poderá ainda, lhe instruir sobre o tipo de licença e a forma de aquisição mais adequados para o seu negócio: